EDL
ENCONTROS DE DESIGN DE LISBOA
FACULDADE DE BELAS ARTES
UNIVERSIDADE DE LISBOA
13.02.2012 /
09H30 > 19H00 — GRANDE AUDITÓRIO
DESIGN, CRISE E DEPOIS
PROGRAMA
CICLO DE CONFERÊNCIAS



Os Encontros de Design de Lisboa / Lisbon Design Meetings propõem um espaço de comunicação e reflexão sobre a utilização do design enquanto recurso estratégico e sobre o modo como as instituições de ensino e os centros de investigação o consolidam como área de conhecimento. Colocando sob observação as dinâmicas culturais dos processos, as metodologias e a implementação prática do design, os Encontros de Design de Lisboa debaterão a importância da criatividade e da inovação na construção de valor social e económico, procurando identificar o papel da universidade neste contexto.

A edição de 2012 dos Encontros de Design de Lisboa, intitulada “Design, Crise e Depois”, é uma proposta de abertura aos diversos modos como o design contribui para responder aos desafios da sociedade, e como orienta o seu potencial para novas áreas de actuação, decisivas no âmbito da actual conjuntura.




 

INFORMAÇÕES




Inscrição

REGISTO

Atribuir-se-ão Certificados de Participação mediante a solicitação.

A inauguração da exposição e
o lançamento da publicação SAMIZDAT são de entrada livre.







COMISSÃO CIENTÍFICA:



Miguel Arruda

Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa

Federica del Faco

Facoltà di Architettura Sapienza Università di Rome

Antoni Ramesar

Universidade de Barcelona

Vasco Branco

Universidade de Aveiro

Inês Secca Ruivo

Universidade de Évora

Fernando Moreira da Silva

Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa

Alexandra Cruchinho

Esart - Instituto Politécnico de Castelo Branco




COMISSÃO EXECUTIVA:

Coordenação: Raul Cunca

Conferências:
Isabel Dâmaso
Victor M Almeida
Frederico Duarte
João Cruz
Jorge Alves






EXPOSIÇÃO:

Victor M Almeida
Paulo Parra
Cristovão Pereira
Ana Lia Santos
Marco Sousa Santos
André Gouveia
Tiago Girão
Miguel Cardoso



PROJECTO DA EXPOSIÇÃO:

Ana Lia Santos
Tiago Girão André Gouveia
Nuno Pires



DESIGN DE COMUNICAÇÃO:

Collective4.16

Apoio webdesign: Miguel Cardoso
Apoio na produção gráfica: Isabel Castro




ORGANIZAÇÃO:

FBAUL Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa

CIEBA-SdD Secção de Design do Centro de Investigação e
Estudos em Belas Artes

FCT Fundação para a Ciência e a Tecnologia






LOCALIZAÇÃO



Largo da Academia Nacional de Belas Artes
1249-058 Lisboa Portugal
Telefone +351 213 252 100
Fax + 351 213 471 689

encontrosdesign@fba.ul.pt

Localização > Ver Maior



 09h00Acreditação
 09h45Sessão de Abertura
> Conferência 110h00"DOING AND THINKING"


Oscar Peña

> Nota Biográfica

"Challenges of the industry and inspiration from the Design Academy Eindhoven"

O design tem de ser optimista. Essa é a sua razão de ser. Olha para o futuro e imagina melhores possibilidades para todos nós. Dedica-se a imaginar “o que é tecnologicamente possível com o que é humanamente preferível”. O futuro não cai do céu e nós enquanto designers precisamos de decidir se queremos ser participantes ou espectadores. Eu quero ser um participante e peço o mesmo aos meus alunos. No mundo ocidental de hoje o papel do design não é mais estar no final do ciclo ou ser a cereja no topo do bolo. Os designers precisam estar envolvidos desde o início, escrevendo eles o brief com a empresa, dando forma aos ideais e estratégias da empresa. E usando a criatividade e a inovação para traduzir os valores da empresa ou do negócio com quem trabalham.
O design é uma ferramenta estratégica na Philips. Nós somos os tradutores da marca em serviços, produtos e experiências tangíveis. Damos vida às ideias, lançando-as no mundo para que sejam experienciadas pelas pessoas.
Na Design Academy Eindhoven, especialmente no meu departamento de Man & Activity, nós não ensinamos design, acreditamos que o design é algo que cada um deve aprender, como tão bem expressou Josef Albers.Finalmente, queremos que os nossos alunos considerarem o significado cultural, a relevância social e valor económico em todo o seu trabalho. Precisamos na nossa profissão e na nossa educação de nos ligarmos ao mundo através do conhecimento e consciência, e através da colaboração com outros noutros campos e culturas.



Moderador: Raul Cunca, FBAUL

10h45 P & R

 11h00Coffee Break
> Painel 111h15As competências dos designers e o contexto actual


A importância das competências do designer no contexto contemporâneo. O percurso de uma actividade – da consolidação da profissão ao desenvolvimento da investigação científica.


MIGUEL ARRUDA, FBAUL
> Nota Biográfica



PEQUENO, MÉDIO, GRANDE

Projectar o consumo





VASCO BRANCO, UA
> Nota Biográfica


Design: habilidades e investigação



Moderador: Raul Cunca, FBAUL
11h55 Debate / P & R



> Painel 212h15OS LUGARES E OS CONTEXTOS DA CRÍTICA DO DESIGN


A reflexão da acção prática é exercida pelos próprios designers através de ensaios críticos publicados em revistas e em livros e, sobretudo, em plataformas on-line. De igual modo, outros reagem a partir dos núcleos de investigação das universidades utilizando os mecanismos institucionais disponíveis para difundir o conhecimento produzido. A quem se destina esta reflexão e como é que ela influencia a prática?


MÁRIO MOURA, FBAUP
> Nota Biográfica

AURELINDO JAIME CEIA, ISEC
> Nota Biográfica

Design para a Mudança

No pensamento contemporâneo dos problemas actuais sobre a chamada "sustentabilidade" o design é parte importante, como diagnóstico e como caminho para a solução. Assim, o design deve incorporar uma dimensão política que ultrapassa largamente a mera circunstância formal e que coloca o pensamento e a prática projectual como crítica e como revolta contra a padronização do pensamento criativo pela ideologia do económico/financeiro. O design como arma e não como cenário.




Moderador: Emílio Vilar, FBAUL

12h45 Debate / P & R

 13h00PAUSA PARA ALMOÇO
> Painel 314h00Soluções de design em contextos de crise: Itália e Portugal


Os designers pensam a sua profissão como forma de produzir alternativas mais satisfatórias para as questões que emergem do quotidiano, quer em termos da qualidade da organização e suporte material desse quotidiano, quer em termos do valor cultural intrínseco à interacção entre as pessoas e o mundo artificial.
Este painel procura reflectir sobre as várias dimensões que caracterizam este modo de interpretar o espaço de intervenção do design, propondo:

- localizar na História e na contemporaneidade momentos de associação do design à superação de contextos de necessidade;
- procurar compreender o valor da identidade local como recurso económico estratégico;
- sublinhar a importância de uma visão sistémica que, associada a um posicionamento de intérprete por parte do designer, procura conduzir uma análise sobre uma parte dos sistemas em que o design se insere, com vista à identificação de oportunidades de actuação ainda não exploradas.


Moderador: Isabel Dâmaso, FBAUL
Reactor: Inês Secca Ruivo, UE



ITÁLIA

FEDERICA DAL FALCO, Facoltà La Sapienza Università di Roma
> Nota Biográfica

"The importance of local resources in times of economic hardship"


O conceito central da palestra é que existe uma analogia entre a evolução biológica e a evolução dos materiais e dos objectos. A investigação sobre o design italiano dos anos 1930 e cultura material acolhe esta ideia, desenvolvendo ainda sobre os seguintes pontos:
- A importância da exploração dos recursos locais e de inovar com produtos em tempos de dificuldades económicas.
- A analogia entre a "economia verde" e a "autarquia económica" em Itália, dos anos trinta em diante.
- O processo cíclico através do qual a tipos de objectos que resistem ao teste do tempo são sempre dadas formas novas e contemporâneas graças ao uso de materiais inovadores.



Portugal

CATARINA PORTAS, Investigadora e Empreendedora
> Nota Biográfica

Como se lançar nos negócios: o meu manual

Em 2004, eu era uma jornalista freelance a tentar ser documentarista, ou seja, praticamente desempregada. Foi nesse ano, em que estava desocupada e a precisar de um ponto de fuga, que me surgiu uma ideia e me lancei nos negócios, sem perceber patavina do assunto. Sete anos passaram e hoje, entre três empresas, dou emprego a cerca de 40 pessoas. Ao longo de sete anos, a experiência tal como a inexperiência ensinaram-me muito. Talvez o que aprendi possa ser útil àqueles que num momento como este, com o país em crise e o desemprego em alta, ponderam mudar de vida e tornarem-se os seus próprios patrões, contribuindo no entretanto para uma comunidade mais viva e um país mais interessante. Por isso, aqui vai este Manual que é de guerrilha mas também filosofia.


LUÍS FERREIRA RODRIGUES, Urbanista
> Nota Biográfica

Design Urbano: da Espectacularidade à Necessidade

Pretende-se abordar nesta comunicação, as implicações negativas que o critério da espectacularidade no processo conceptual, tem produzido no mercado da encomenda pública do Design de Equipamento – especialmente, aquela destinada ao espaço urbano. Em muita da produção encomendada, paga e usufruída pelo público ou pelas entidades que o representam (câmaras municipais, organismos do Estado, fundações públicas, etc.), desde logo nos surgem questões éticas, estéticas, funcionais, económicas e ambientais relacionadas com os processos conducentes a essa encomenda, os quais nos suscitam dúvidas quanto ao seu benefício e interesse público. Analisadas algumas dessas questões, sugerem-se novas propostas e alternativas paradigmáticas que visam enquadrar e sustentar os processos conceptuais de design urbano num contexto económico mais parcimonioso. Pretende-se demonstrar que os elevados padrões qualitativos pelos quais se deve pautar a obra pública, não só não estão necessariamente dependentes da disponibilidade de vastos recursos financeiros ou materiais, como podem tornar-se ainda mais evidentes na carência (ou até mesmo ausência) desses recursos. Para tal, há que mudar não apenas a perspectiva do designer em relação ao seu produto, mas principalmente, a sua perspectiva em relação aos processos burocráticos que extravasam a dimensão criativa e penetram no campo político/administrativo.





DUAS PERSPECTIVAS DE INVESTIGAÇÃO EM DESIGN



MIGUEL ESTIMA, investigador
> Nota Biográfica

A flexibilidade do ferro: o caso da Metalúrgica Alba

Apresentação de um caso particular de producão material desenvolvida no período balizado pelas politicas do Estado Novo. Numa atmosfera de proto-design, a Metalúrgica Alba aperfeiçoou uma abordagem empírica baseada na exploração da flexibilidade permitida pela produção e pela estrutura de vendas da empresa. É contada uma história de objectos de uso quotidiano que acabaram por compor todo um cenário de memória nacional.


PEDRO REISINHO, investigador
> Nota Biográfica

O conceito obsence no design de equipamento

A superficialidade espectacular no design que Gerrit Terstiege enunciou, projecta um conjunto de fenómenos que ganham sentido numa reflexão sobre a contemporaneidade. Esta reflexão assume como ponto de partida a exposição Super Normal de Naoto Fukasawa e Jasper Morrison enquanto elemento que desvenda o conceito absence, o qual é agenciado enquanto elemento problematizante dessa superficialidade. O conceito absence procura se definir enquanto um elemento que compreende as questões inerentes ao problema do Ser e as repercussões no relacionamento com os objectos. É assim, uma plataforma que procura responder a um estranhamento herdeiro da hiper-realidade onde os signos estilhaçados confluíram para uma perda do Eu. Mais do que uma resposta, o conceito absence procura oferecer novas vias de desenvolvimento conceptual e de relacionamento no objecto, propondo-o como mais do que uma matéria e possibilitando a sua mutação e adaptação para um plano inalienável.


 

15h30 Debate / P & R

 15h45Coffee Break
> Conferência 216h00"Honesty"


Daniel Van der Velden

> Nota Biográfica



Honesty

Esta conferência faz parte do próximo projecto editorial dos Metahaven, Black Transparency. Este projecto engloba não só uma publicação impressa, mas também conferências, blog posts, eventos e artigos.



Moderador: Sofia Gonçalves, FBAUL

16h45 P & R

> Painel 417h00Responsabilidade social e a crise de confiança em design


Modos de ver o design na contemporaneidade:
A responsabilidade social e a crise de confiança do designer


Num evento que assenta o seu programa na apresentação e discussão de modos de ver a prática do design em período de crise generalizada, uma reflexão sobre essa realidade sugere a existência de uma crise de confiança entre os profissionais que, inevitavelmente, se repercute na credibilidade social do design.

A reflexão na acção é desenvolvida pelos profissionais com o objectivo de se posicionarem de forma inequívoca perante o conhecimento e reconhecimento do seu processo projectual. No caso da reflexão em reacção esta desenvolve-se, sobretudo, no interior da universidade por investigadores profissionais que publicam, sob a forma de ensaios académicos, dissertações ou artigos em revistas. Este trabalho estende-se, também, a publicações e a conferências de carácter mais lato.

Este ciclo de acção-reacção terá como objectivo imediato aproximar os conhecimentos gerados pelos profissionais da investigação dos da actividade prática, situando-os ao mesmo nível de responsabilidade social.



Moderador: Victor M Almeida (FBAUL)
Relator: Eduardo Côrte-Real (IADE)






#1 Endless Stories

MIGUEL CARDOSO
> Nota Biográfica

Visualização de informação e o desígnio ético de promover a compreensão

A visualização de informação (ou visualização de dados) é uma área projectual em franco desenvolvimento e que assume o compromisso de tornar compreensível tudo aquilo que, pela sua complexidade, carece de uma explicitação gráfica. Nesta sessão, procuramos discutir os fundamentos da visualização de informação no contexto contemporâneo. Nomeadamente, o desígnio ético de promover a compreensão através de meios gráficos.


Reactor: Pedro Almeida (FBAUL)





#2 O Bairro, agora a cores

CATARINA VASCONCELOS
CATARINA GONÇALVES
JOANA MANAÇAS
> Notas Biográficas

Projecto EVA / Bairro 6 de Maio

Foi durante os meses de Junho e Julho de 2010 que estivémos em residência artística no Bairro 6 de Maio. A residência (parte do projecto EVA, Exclusão de Valor Acrescentado) tinha como objectivo fundamental a intervenção artística no e com o bairro/comunidade local.
Desenvolvido a partir de meados dos anos 70 por (sobretudo) cabo-verdeanos que vinham para Portugal trabalhar na construção cívil, o Bairro 6 De Maio é um local onde a arquitectura de sobrevivência prevalece, sem uma rede de esgotos, sem luz à noite e com condições profundamente precárias. O nosso projecto, construído com a comunidade, passou por dar uma nova cara ao bairro: procurar dar-lhe a dignidade e a cor que nunca teve, mas que as memórias de Cabo-Verde lembram.



Reactor: António José Nicolas (FBAUL)





#3 Souvenir

CATARINA CARREIRAS
MARTA VILLAR
> Notas Biográficas

Food & design: desenhar os sabores e projectar memórias

O acto de comer é reconhecido como um activo cultural capaz de reflectir o espírito e estilo de vida de uma sociedade. A actual relação do design com os alimentos emerge dessa tomada de consciência e resulta do interesse manifestado pelos designers em inúmeros aspectos da cultura da alimentação. O projecto Souvenir de Catarina Carreiras e Marta Villar (integrado na EXD'11) é uma instalação visual "que se alimenta do prazer útil de criar e se materializa no prazer inútil de levar connosco um espectro de sabores". Serve como ponto de partida para uma reflexão sobre as sobreposições entre design e gastronomia.


Reactor: Suzana Parreira (FBAUL)





#4 Logo Depois da Vírgula

ANTÓNIO SILVEIRA GOMES
CLÁUDIA CASTELO
LÍGIA AFONSO
MATTIA DENISSE
> Notas Biográficas

A edição: entre crise e crítica

Ao partir da origem da palavra "crítica" como acção que coloca em crise, a sessão enquadra as práticas editoriais como um dos seus agentes—entre política e ideologia, ensaio e ficção, contra-corrente e conta corrente, texto principal, nota e meta-nota. Perante a crise, posicionamo-nos entre as possibilidades da publicação própria e da publicação financeiramente assistida; a autoridade do autor e do Estado, entre o livro que nunca se fez (os "Pensamentos" de Joubert, "Le Livre" de Mallarmé, "O Livro do Desassossego" de Pessoa, entre outros) e os livros que poderiam nunca ter sido feitos. Por último, examinamos o colapso dos limites imagem/texto, artes visuais/literatura como "estado de graça" da Página.


Reactor: Sofia Gonçalves (FBAUL)


18H40 Debate / P & R

> EXPOSIÇÃO19H00Design em Lisboa — Comunicação, Urbano, Produto, Estudos



Inauguração da exposição
Design em Lisboa
19:00H
Galeria


 


EXPOSIÇÃO
Design em Lisboa — Comunicação, Urbano, Produto, Estudos



> EVENTO PARALELO19H15LANÇAMENTO DA PUBLICAÇÃO SAMIZDAT



Lançamento da publicação
SAMIZDAT
19:15H
Capela
MARCO BALESTEROS
SOFIA GONÇALVES

 


SAMIZDAT
I Publish myself, I do the publishing myself





MARCO BALESTEROS
SOFIA GONÇALVES

O workshop Samizdat (janeiro/abril 2010), ministrado por Marco Balesteros e Sofia Gonçalves, propunha a criação de um espaço de crítica e prática no contexto da publicação própria. Teve por orientações centrais, o esbatimento dos papéis envolvidos na edição/publicação, o designer como autor/editor/produtor, o entendimento do workshop como modelo pedagógico paralelo à academia e como potenciador de experimentação crítica e geração de conteúdos. Esta exploração meta-projectual foi consolidada numa declaração de intenções, centrada em torno de 7 temas (ideologia(s), arte/publicação, edição/conteúdos, cultura impressa/cultura digital, meta-media, produção, distribuição/público/leitor). Por sua vez, estes temas deram origem a um conjunto de publicações individuais (monólogos autorais) e de contribuições colectivas (painéis de discussão). A publicação SAMIZDAT serve como registo do workshop assim como agregador e compêndio informal sobre as questões fundamentais do self-publishing.





EDL X LDM
FORMULÁRIO DE REGISTO
PDF
DOWNLOAD /
UPLOAD
> REGISTO JÁ DISPONÍVEL

O registo é necessário para assistir às conferências.
Inscrições limitadas ao número de lugares do Auditório.

Faça o download do formulário aqui.




10€ - Público em Geral
5€ - Estudantes do Ensino Superior
5€ - Docentes (FBAUL)

A inscrição só será validada após recepção da presente ficha de inscrição
acompanhada do comprovativo de transferência bancária na morada de E-mail:

NIB/Bank Account: 0035 0250 00005473930 81

encontrosdesign@fba.ul.pt